top of page
Post: Blog2 Post

O aumento da taxa SELIC e seus reflexos no Mercado Imobiliário

Atualizado: 10 de abr. de 2022



Se você comprou recentemente um imóvel ou pretende comprar, ou, ainda, se você é construtor/incorporador ou trabalha no setor imobiliário, já dever ter ouvido sobre a decisão do COPOM - Comitê de Política Monetária do Banco Central, sobre o aumento da taxa básica de juros da nossa economia, a tão famosa "Taxa SELIC", quebrando o ciclo de queda de quase 06 (seis) anos. O aumento foi de 0.75 ponto percentual, chegando a 2,75% ao ano.


Há quem diga que esta medida pode ser negativa, e há quem defenda que em nada impactará no nosso setor imobiliário.


Indiscutível o impacto que o aumento da taxa SELIC causa em nosso dia a dia, sobretudo aos setores dependentes de créditos, incluindo aqui o mercado imobiliário, desde os construtores de imóveis até os adquirentes.


Mas a grande questão é saber se este aumento terá reflexos negativos ou não, pelo menos neste primeiro momento.


O ponto de partida para essa análise deve ser feita de acordo com a sua posição no mercado imobiliário.



EU QUERO COMPRAR UM IMÓVEL


Se você está pretendendo comprar um imóvel através de financiamento bancário, entenda que a Taxa SELIC tem relação direta com a "taxa de balcão" praticada pelos bancos. Ou seja, a baixa da taxa SELIC tem motivado os bancos a reduzirem suas taxas internas também, pois torna a concessão de crédito mais atrativa.


Com o aumento da SELIC, os bancos tendem naturalmente a elevar suas taxas finais. Não é necessariamente imediato este aumento, mas pra quem pretende comprar o conselho é: APRESSE-SE!


Estamos vivenciando taxas muito reduzidas. Não é à toa que o mercado imobiliário vem crescendo tanto mesmo durante a pandemia do COVID-19.


Então, se você possui condições e segurança de que não terá impactos financeiros na sua renda durante os próximos anos, sobretudo com a queda da economia, e tenha a intenção de comprar para moradia ou investimento, aproveite este momento, até porque o COPOM divulgou que outros aumentos virão, nas mesmas proporções.


É importante destacar que a nossa instabilidade em questões fiscais, financeiras etc, é enorme, e a taxa SELIC não foge ao caso.


Observem o gráfico abaixo, retirado do site da CNN Brasil, e percebam os patamares já alcançados:





JÁ COMPREI O IMÓVEL


Se você já adquiriu um imóvel em razão das vantagens atuais, conforme pontuado acima, e acabou se assustando com o anúncio de alta da SELIC, deverá observar qual foi a correção dos juros escolhida.


  1. Se você contratou financiamento imobiliário com taxas pré-fixadas, fique tranquilo! Pois, como o próprio nome já diz, a taxa foi pré-fixada quando da contratação do financiamento, não incidindo aumento.

  2. Por outro lado, se a sua escolha de correção foi a correção da poupança, deverá atentar-se, pois tem ela relação direta com o aumento da taxa SELIC.


Mas, calma. Esse aumento de 0.75 ponto percentual representa um aumento pouco significativo. Fique sempre de olho até que patamar esse aumento pode chegar (pois lembre-se, novos aumentos virão!).



TRABALHO COM O MERCADO IMOBILIÁRIO


Ah, se a sua situação se encaixa aqui - construtor, incorporador, imobiliária, corretor de imóveis, advogada imobiliarista (olha eu aqui!) - saiba que dificilmente teremos impactos tão negativos assim, pois os consumidores finais, que estão dispostos e possuem condições de arcar com a compra de imóveis por financiamentos, continuarão tendo seus créditos aprovados.


No entanto, é preciso que seja feita uma análise global, tendo em vista, principalmente, nossa economia, que vem sofrendo significativamente com a pandemia. Seus reflexos são atuais e futuros e é preciso analisar seriamente o impacto que isso irá gerar no bolso dos consumidores finais. Perceba: de nada adiantará baixos índices de juros se não houver renda para essas pessoas.


Mas nem tudo está perdido, e por incrível que pareça, o aumento da taxa SELIC pode impactar positivamente no setor imobiliário, especificamente no setor da construção civil.

Temos acompanhado a alta da inflação dos materiais de construção, que tiveram seus preços disparados ultimamente.


Com o aumento da taxa SELIC, o Banco Central tende a frear o consumo desses materiais e controlar a inflação. Diminuindo a inflação, consequentemente os preços irão estagnar, ou quem sabe diminuir, e teremos um menor custo nas construções de imóveis novos, o que de fato terá efeito no momento de repassar ao consumidor.


Em qual desses tópicos você se encaixa? E qual sua opinião sobre o aumento da taxa SELIC? Deixe sua opinião aqui.



---

Caso tenha restado alguma dúvida, ou queira conversar em relação ao assunto aqui tratado, fique à vontade para entrar em contato pelo e-mail: tatifmotta@adv.oabsp.org.br ou através do meu perfil do Instagram: @tatianefmotta.

61 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page